Mesa redonda 1: A educação infantil no curso de Pedagogia

Mediadora: Andreza Fabrícia Pinheiro da Silva (Vice-Coordenadora do curso de Pedagogia/UFAL)

Debatedoras: Márcia Buss-Simão (UNISUL), Lenira Haddad (UFAL), Valdete Côco (UFES), Geisa Andrade (Formadora em Educação Infantil do Paralapracá/Avante/C&A)

Formação docente para a educação infantil: configurações curriculares nos cursos de Pedagogia das Universidades Federais

Márcia Buss-Simão PPGE-UNISUL
Moema Helena de Albuquerque NDI-UFSC

A presente discussão apresenta dados da pesquisa de Albuquerque (2013) que objetivou analisar os currículos dos cursos de Pedagogia das Universidades Públicas Federais no Brasil considerando a promulgação das Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Pedagogia em 2005. A análise das configurações curriculares contemplou 33 universidades das 47 que ofereciam o curso de graduação em Pedagogia. A fim de analisar a configuração dos currículos de Pedagogia para a formação específica da docência para a Educação Infantil, foi preciso dar visibilidade ao lugar que as crianças e a infância ocupam no seu interior. A análise destes conteúdos buscou identificar ainda a existência de diálogos interdisciplinares para tratar da infância e suas consequências para a consolidação conceitual e a orientação das ações pedagógicas com as crianças na educação infantil.

A construção da área da educação infantil na UFAL
Lenira Haddad (UFAL)

 

Trajetórias de formação de estudantes de Pedagogia: perspectivas para a docência na educação infantil

Valdete Côco (UFES)

No contexto dos desafios conexos à formação de professores, em especial, vinculados às políticas de provimento de quadros profissionais, tematizamos as perspectivas de atuação no campo da educação infantil. Na articulação entre ensino e pesquisa, abarcando as práticas de memórias e narrativas como estratégias formativas, analisamos dados decorrentes de procedimentos de elaboração de memoriais, desenvolvidos com um grupo de licenciandos em Pedagogia. Com referenciais teórico-metodológicos bakhtinianos, a focalização das enunciações informa o posicionamento da educação infantil no horizonte das possibilidades profissionais, ainda que marcada com significações de desprestígio, assinalando o reconhecimento de um campo de atuação, no bojo da luta por sua afirmação, como primeira etapa da Educação Básica.


Formação inicial e continuada: desafios na construção da identidade profissional

Geisa Andrade
Formadora em Educação Infantil do Paralapracá/Avante/C&A

Os caminhos construídos pelos/as profissionais de Educação Infantil após a sua formação inicial, nos falam de pontos importantes a serem considerados. A diversidade de contextos de memórias, com seus valores e crenças, as tradições culturais, aliados à elementos de fundamentação e documentos oficiais, são responsáveis pela formação de um profissional sempre inacabado, mas autor e reflexivo de sua própria prática. É um movimento particular, construído de memórias e singularidades, de construções contínuas e de um inquietar-se constante. Olhar com sensibilidade e humanidade para as crianças pressupõe um olhar para si próprio, para sua trajetória de vida, especialmente a infância. A dinâmica desse processo temporal de construção da sua particularidade e identidade profissional, forjado essencialmente na prática, pode e deve estar aliado à formação acadêmica.