Mesa redonda 2: O estágio na formação do(a) professor(a) de educação infantil

Mediadora: Janaila dos Santos Silva (GPEIDH/UFAL)

Debatedoras: Maria Assunção Folque (Universidade de Évora), Kátia Adair Agostinho (UFSC), Telma Vitória (UFAL), Sandra Munira (aluna do curso de Pedagogia/UFAL)


A Prática de Ensino Supervisionada da formação de educadores de infância da Universidade de Évora – assumir a profissão numa comunidade de aprendizagem

Maria Assunção Folque (Universidade de Évora)

Nesta comunicação irei partilhar convosco a concepção e organização da atividade de estágio profissional na formação inicial de educadores de infância na Universidade de Évora, designada Prática de Ensino Supervisionada (PES). Esta atividade, que se desenvolve em dois momentos contínuos - um em creche (0 a 3 anos) e outro em Jardim de infância (3-6 anos) - constitui-se como uma experiência integradora de saberes praxiológicos para o desenvolvimento pessoal e profissional do futuro docente em comunidade de aprendizagem. Pretende-se que durante a PES os/as estudantes desenvolvam competências aprofundadas de caracterização e compreensão da ecologia da infância, bem como de observação, planeamento, intervenção, análise e avaliação da ação educativa; estas competências profissionais são suportadas por intensas interações dialógicas e cuidadoras que procuram promover o carácter intencional, emergente e exigente da ação pedagógica, assumindo as dimensões cívicas e formativas da função docente. Estes processos requerem ainda, o desenvolvimento de competências de investigação e de reflexão permanente sobre, e para a ação educativa, numa perspetiva de intervenção curricular, de co-construção de conhecimento e de transformação / qualificação de contextos. Partindo destes motivos da atividade de estágio apresentarei a estrutura organizativa que a suporta (tempos e espaços) bem como os instrumentos mediadores dos processos de aprendizagem (instrumentos de planeamento, de registo e de avaliação), regras que a balizam, e os papéis dos intervenientes, particularmente nos processos de supervisão em que participam os docentes da Universidade, os/as estudantes e os/as educadores/as cooperantes.


O Estágio Supervisionado em Educação Infantil no curso de Pedagogia da Universidade Federal de Santa Catarina

Kátia Adair Agostinho (UFSC)

O estágio supervisionado em Educação Infantil compreende o espaço-tempo curricular que permite o exercício de ampliação do olhar dos estudantes dirigido às crianças e à prática pedagógica, por meio da imersão no cotidiano educativo em creches e pré-escolas públicas, no encontro com o coletivo de sujeitos que dele participam: crianças, profissionais, familiares e comunidade. Esse encontro aprofunda a compreensão dos contextos educacionais, com diferentes níveis de observação, análise e proposições, cultivando e qualificando a interlocução com os envolvidos diretamente com a educação das crianças pequenas. No estágio se ensaiam alternativas de atuação, potencializando o diálogo entre a teoria e a prática como um ato/exercício que se inscreve pela não dicotomização, o que exige a articulação intensa entre essas duas dimensões.

O Estágio Supervisionado em Educação Infantil da Universidade no curso de Pedagogia da Federal de Alagoas

Telma Vitória (UFAL)

Esta apresentação relata uma experiência que principiou na década de 1980 com estudantes de psicologia da USP – Ribeirão Preto. No início dos anos 2000, outra experiência com estudantes de pedagogia e de educação física, conforme os preceitos apontados por Campos (MEC/SEF/DPE/COEDI, Por uma política de formação do profissional de educação infantil, Brasília, 1994, p. 32-42) na cidade de São Paulo. A partir de 2008, a experiência com alguns estudantes do curso de pedagogia da Universidade Federal de Alagoas, acompanhando seus trabalhos em algumas das instituições da rede municipal de Maceió. Por fim, apresenta reflexões sobre os resultados obtidos com cada uma dessas experiências, com ênfase nos aspectos que podem avançar para a melhoria da formação dos estudantes que passaram por esses últimos estágios.

Sandra Munira (aluna do curso de Pedagogia/UFAL)