O Grupo de Pesquisa “Educação Infantil e Desenvolvimento Humano” surge no contexto de abertura do campo da educação infantil na Universidade Federal de Alagoas na graduação e pós-graduação e tem como lider a Profa Dra Lenira Haddad. Constituído em 2007 e certificado no Diretório dos Grupos de Pesquisa do CNPq em 2008, o objetivo do GP voltou-se inicialmente a “investigar as políticas e práticas de educação infantil, buscando compreender o significado das mesmas dentro do contexto histórico-cultural em que vão sendo produzidas e reproduzidas, avaliando sua efetividade na promoção do desenvolvimento humano, em especial das crianças e profissionais nela envolvidos”.

Em sua fase inicial, as atividades do grupo foram reunidas em duas linhas de pesquisa  Representação Social e trabalho do professor e Processos educativos em educação infantil.  Grande parte das pesquisas vinculadas à primeira linha de pesquisa focou nos estudos sobre representações sociais do trabalho docente em colaboração com as atividades do CIRS-Ed, Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade-Educação, coordenado por Clarilza Prado e Lúcia Villas Bôas (FCC). A pesquisa, longitudinal e interinstitucional “Representações sociais de estudantes de Pedagogia sobre o trabalho do professor de educação infantil”, realizada em três universidades federais: UFAL, UFMT e UFFS, acompanhou os estudantes do ingresso ao término da formação. Em sua fase final recebeu apoio de professores da Universidade Aix-Marseille, França, especialmente no que se refere aos aspectos teóricos e metodológicos que são específicos da teoria das representações sociais. No âmbito da UFAL, a pesquisa acompanhou os estudantes ingressos nos anos de 2008 e 2009 e envolveu também  professores em exercício na rede pública de educação infantil do município de Maceió. A segunda linha agrupou tanto as pesquisas voltadas às práticas educativas em educação infantil e os significados atribuídos a elas, quanto às que investigavam as políticas públicas de educação infantil e, em especial, a integração das instituições de educação infantil no sistema de ensino, e buscam compreender os processos institucionais enquanto fenômenos complexos.

As atividades do GP foram se alargando à medida que novos interesses surgiam e novas parcerias se consolidavam. Tem destaque: as pesquisas com crianças, em interface tanto com os referenciais teóricos desenvolvidos no  Laboratório de Interação Social Humana - LabInt (UFPE), coordenado por Maria Isabel Pedrosa, quanto dos estudos sociais da infância; a pesquisa sobre compreensões da prática pedagógica em educação infantil desenvolvida junto à dinamarquesa Jytte Juul Jensen; e a recente parceria com a Universidade de Évora, em Portugal, e outros grupos de pesquisas nacionais de distintas universidades (UFF, UFSC, UFES e UNISUL) com foco na formação inicial do(a) professor(a) de educação infantil.

Atualmente, o GP reune estudantes de PIBIC, mestrado e doutorado e envolve três linhas de pesquisa:

Docência na educação infantil: formação, profissionalismo e representações: investiga a docência na educação infantil nas suas múltiplas dimensões: formativas, representativas e identitárias e busca compreender os mecanismos psicossociais que sustentam a prática pedagógica do(a) professor(a) que atua especialmente na educação infantil.

Educação infantil em contexto: volta-se ao campo da educação infantil nas suas múltiplas dimensões: histórica, política, cultural, ideológica, psicológica e pedagógica, buscando compreender o significado das mesmas no contexto histórico-cultural em que vão sendo produzidas e reproduzidas, avaliando seu impacto na promoção do desenvolvimento humano, em especial das crianças e profissionais nela envolvidos.

Infância e pesquisa com criança: investiga as crianças em interação em contextos institucionais de educação infantil, considerando-as como atores sociais, agentes e informantes legítimas das suas experiências sociais e culturais e desenvolve metodologias que possibilitam ao pesquisador se aproximar do ponto de vista das crianças e apreender suas perspectivas.